Our Love #3 || "Sou um desastre" # "Queria estar com ela e voltar a beijá-la"


Rita: Os dias foram passando. Não sei bem como, comecei a mandar-lhe SMS de bom dia e de boa noite, só para ele saber que eu pensava nele. Conversávamos algumas vezes e sempre que ia andar perto do Liceu, dizia-lhe. Acabava sempre por aparecer nem que fosse para cinco minutos de conversa.
No dia 25 de Maio escrevi-lhe uma carta. Não era suposto ele ler. Era mais uma forma de desabafo. (Desde então troca-mos várias cartas, principalmente no nosso dia. Pode parecer estúpido mas foi um hábito que criá-mos e poder abraçá-lo depois de ler o que ele me escreve... sabe tão bem. )
Na Terça-Feira seguinte combinámos encontrar-nos outra vez, já que eu ia para aqueles lados e ele estava a estagiar lá perto também.
Credo, devo admitir que parecia uma barata tonta. Estava uma ventania do caraças e eu já nem sabia se queria vestir o casaco ou não, tal era os nervos, aqueles bichinhos inquietos.
Andámos às voltas e voltas, eu sem saber o que fazer na presença dele, ele sem saber o que dizer perto de mim. De repente estava na hora de ele voltar ao estágio e na minha cabeça só pensava "Bolas!" porque tinha planeado algumas coisas e não estava a ser capaz de as concretizar de maneira nenhuma. Mas acho que ele me leu os pensamentos e pediu-me que o acompanhasse a meio caminho. Acedi.
De repente sinto a mão gelada dele, na minha. Os nossos dedos encaixaram-se na perfeição como se já o tivéssemos feito milhentas vezes. Nunca me esquecerei de quando olhei para ele e sorriu daquela maneira que... nem sei explicar. Não sei o que ele estava a pensar naquele momento mas a mim, aquele sorriso doce e maroto ao mesmo tempo, traduziu-se em: " Eu sei que querias. Nós queríamos".
Já nem sei se no resto do caminho falei pelos cotovelos ou se nem abri a boca. Só sei que quando se ia embora beijámo-nos. Um xoxo. Eu queria ter tido coragem para o agarrar mas nem lhe toquei, para além da mão que estava presa à dele.
Quando regressei à biblioteca, entrei no blog e escrevi "Sou um desastre". Queria ter feito mais. Que pensaria ele de mim? Eu queria um beijo. Ele queria um beijo. Mas não deveria ter sido algo mais..."romântico"? Era este o meu pensamento. Queria voltar para trás e dar-lhe um beijo decente mas encolhi-me no meu canto e esperei que ele dissesse alguma coisa.

Hoje, quando falamos sobre isso, fartamo-nos de rir. É um daqueles nossos momentos épicos que vai ficar para a história, porque depois, com o tempo, soube que também ele estava nervoso e eu com macaquinhos no sotão a pensar que o rapaz nunca mais olharia para mim.

A nossa história sempre foi meio repentina desde o início, mas sempre pareceu tão certo, como se,de alguma forma, estivesse destinado assim.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Lex: Certo dia eu estava a estagiar perto da biblioteca e combinamos nos encontrar durante a hora de almoço, fomos passear e  quando estava ali a seu lado eu queria dar-lhe a mão mas não tinha coragem. Eu sabia que ela queria tanto como eu mas eu não consegui. a mão não se movia, e quando dei conta já estavá-mos quase a dizer adeus. Quando eu pensei (não pode ser assim, este dia não pode ser assim, não  cheguei a fazer nada do que tinha pensado em fazer, o dia não pode acabar assim), foi então que lhe disse se ela não me queria acompanhar até metade do caminho para eu poder fazer o que tinha na cabeça, ela aceitou, e depois de alguns passos disse para mim (é agora ou nunca), e nesse momento eu fui à procura da sua mão e elas encaixaram na perfeição, (ela tinha as mãos tão suaves  e um pouco mais pequeninas que as minhas que  só me apetecia ficar ali o resto do dia assim sem a largar). 
Nesse momento ela olhou para mim e eu dei-lhe um sorriso tímido (estava tão nervoso).
Quando chegámos a meio do caminho parámos, olhámos um para o outro e foi aí que nos beijámos pela primeira vez, um pouco torto mas não me importei, não me importei com mais nada (fiquei com um sorriso de orelha a orelha).A tal rapariga beijou-me... e quando olho para o relógio , eu já estava atrasado para o estágio, por isso comecei a correr e só sei que pelo caminho não conseguia pensar em mais nada só sabia que queria estar com ela e voltar a beijá-la mas desta vez mesmo no meio dos lábios.
Como isto tudo  na cabeça eu nem reparei que tinha errado a rua e por isso atrasei-me mais um bocado  mas não me importei porque só pensava em estar com ela novamente...

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aqui fica mais uma parte da nossa história. Não se esqueçam que podem sempre aceder ali ao lado em Links/Archives, Always & Forever.Esperamos que tenham gostado deste pedacinho de nós. 

Imagem: We ♥ It

Share This Article:

, ,

CONVERSATION

2 comentários :

  1. Ohhh, tão fofiis, esquece, adoro!!! Continua haha! :p

    Tenho uma TAG no meu blog, e escolhi-te para participares, se quiseres, obviamente! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar