Our love #4 || "Always & Forever" # "Ahhh, queres namorar comigo?"


Rita: Na Quinta-Feira seguinte esperou que eu saisse da natação. Ter aqueles nossos pequenos momentos roubados fez-me perceber que não queria continuar com medo de estar com ele na rua. Estava constantemente a olhar para todo o lado não fosse alguém conhecido nos ver juntos e ir logo contar à minha avó (que é conhecida em todo lado naquela terrinha) ou aos meus pais.
Não que estivessemos a fazer algo de errado mas pronto. Se eles tivessem de saber, que fosse por mim.
Por isso, quando subi as escadas que iam ter às bancadas e o vi no meio do corredor a olhar para uma parede cheia de anúncios, apressei-me a dar-lhe um beijinho rápido, mas pelo menos foi certeiro.
Acho que tinhamos conversado sobre o que acontecera na Terça-Feira, tanto eu como ele sabiamos o que viria a seguir. Porquê adiar o inevitável?
Eu não sabia como o dizer por isso escrevi. Com as mãos a tremer mais que sei lá o quê, entreguei-lhe 3 cartões pequenos com 3 frases desenhadas, se os juntasse poderia ler "Stay with me. I love you. Always & Forever." Ele juntou e leu. Se querem saber como foi a resposta dele, já nem me lembro. Estava tão nervosa que nem me recordo do que veio a seguir. Só sei que saímos das piscinas e no caminho até à minha scotter procurei a mão dele. Não que o caminho fosse longo mas pronto.
Conversámos durante um bocadinho e quando me ia embora ele voltou a beijar-me. Melhor, voltámos a beijar-nos. Mas como um não me chegou, fiquei com cara de parva à espera do segundo.
No último minuto, já eu com o capacete posto, vira-se para mim e pergunta-me assim de chofre "Ahhh. Queres namorar comigo?" Que pergunta! :P
Queria poder estar com ele na boa, sem receio de ser-mos vistos. Queria poder abraçá-lo na rua ou dar-lhe a mão sem ser nas ruas menos movimentadas, por isso levei desde Quinta-Feira a Sábado (ou Domingo, já nem sei) de manhã para contar à minha mãe sobre o Lex.
Nunca era o momento certo. Quando estava quase a falar, a coragem escapava-me.
Naquele dia, madruguei, enchi-me de coragem e fui enfiar-me na cama dela. Contei-lhe assim de chofre também. Se era para falar, que fosse de uma vez.
Andou o dia todo a fazer-me perguntas e mais hilariante foi quando me vi obrigada a contar ao meu pai. A minha mãe andou o dia todo tipo "às bocas" para ver se eu lhe dizia (preferi ser eu a contar), à noite ele lembrou-se de ir ao facebook. Durante semanas nunca lá foi mas teve de ir naquele dia. Até adivinhou, só pode.
Então, antes que ele visse alguma coisa, entreguei-lhe a pen da net e disse-lhe "Tens um genro,tens". Foi uma coisa estúpida de se dizer a um pai. Ainda para mais a um pai um pouco antiquado.
Não achei foi muita graça quando no dia seguinte a minha mãe me diz que seria melhor o Lex ir lá a casa dar uma palavrinha ao meu pai. Como no tempo da Idade da Pedra. O Lex aprontou-se logo a isso, mas preferimos esperar mais algum tempo. Ver o que ia dar.
E agora digam-me, acham que o meu pai aceitou bem o Lex?

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lex: Combinámos encontrar-nos na próxima quinta-feira nas piscinas para estarmos juntos quando ela saisse. Estava  nervoso, todo o caminho ia a pensar como a ia pedir em namoro mas não havia maneira nenhuma que me soasse bem. Entrei nas piscinas, subi as escadas e fiquei a ler uns anúncios  que estavam na parede  enquanto esperava para acalmar o nervoso miudinho. 
Foi então que ela disse apareceu e disse olá. Logo de seguida beijou-me e entregou-me 3 cartões, dos quais  eu adorei e foram/são muito especiais para mim porque foi a primeira coisa que alguma rapariga me deu. 
Depois disso fomos até à moto dela e foi onde ficámos  a conversar um bocadito. Queria tanto poder agarrá-la naquele momento mas não podíamos porque nos podiam ver, e o tempo passou a correr e eu sem a ter pedido em namoro.
Foi quando tive um impulso para lhe dizer, mesmo quando ela já estava quase a ligar  a mota, eu chego ao pé dela e digo em tom de  esquecido e de brincadeira: ahhh, queres namorar comigo? Ao qual era respondeu em tom de brincadeira: hmm não sei... sim quero.
Depois disto só faltava contar-mos aos nossos pais e assim podíamos andar à vontade na rua.
Depois de ela ter contado aos pais dela, o pai dela queria que fosse falar com ele e para conhecer o namorado da filha, ao qual eu disse logo que sim, mas decidimos esperar mais um tempo.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui fica mais uma parte da nossa história. Não se esqueçam que podem sempre aceder ali ao lado em Links/Archives, Always & Forever.Esperamos que tenham gostado deste pedacinho de nós.

PS. A nossa "imagem de marca" desde sempre foi o "Always & Forever". Culpa minha. Melhor, culpa da série que eu andava a ver na altura (One Tree Hill) e da história de amor que mais gostei de ver. 



Imagem: We  it

Share This Article:

CONVERSATION

0 comentários :

Enviar um comentário