Our love #6 || "A nossa relação esteve em risco" # "Não podíamos contar com eles para quase nada ou nada mesmo."


Rita: Em Setembro, o Lex foi a minha casa pela primeira vez.
Os meus pais concordaram em convidá-lo para um daqueles almoços que costumamos fazer no Verão com os meus tios (irmão da minha mãe). Todos adoraram conhecê-lo, incluindo o meu pai, ainda que nem tivessem tido a dita conversa do " se queres namorar a minha filha, só por cima do meu cadáver". Nunca esperei que o meu pai aceitasse tão bem o facto de eu namorar, mas creio que teve a minha mãe atrás dele, a fazer-lhe a cabeça em picadinho dia e noite.
A meio do mês a mãe do Lex fez anos e fui convidada para ir jantar com eles ao Restaurante Chinês. Os meus pais ficaram apreensivos por eu ter carta ainda à poucos meses e o facto de eu vir sozinha para casa de noite, já que vivemos numa daquelas zonas no meio do campo, com um vizinho aqui e outro ali. Convenci-os com o argumento que o padrasto do Lex iria na carrinha dele atrás de mim até casa. Já que eu tive de levar o meu carro porque a carrinha deles só tinha 3 lugares, o Lex foi comigo e o padrasto, depois de eu chegar a casa, levava-o na volta com ele.
Aceitaram.
A verdade é que durante o jantar, após me convidarem para ir lá a casa deles comer a sobremesa e eu ter deixado bem assente que não ia por já estar a fazer-se tarde, acabei por deixar o Lex em casa e ir sozinha para casa, a meio da noite, pelo meio do mato. Porquê? Porque afinal ninguém foi acompanhar-me a casa como se tinham comprometido.
Os meus pais ficaram verdes! A partir daí eu soube que não podia voltar a pisar a bola tão cedo, embora não fosse minha culpa, tinham-me imposto uma condição. Mas falharam comigo.
O problema não era o Lex mas pela primeira vez a nossa relação esteve em risco.
No fim-de-semana seguinte convidei o Lex para ir a minha casa,  se já lá tinha estado um dia agora não era para deixar de ir, palavras da minha mãe.
Estava tudo combinado, quando o padrasto dele fosse para a fazenda deixava-o aqui. A questão é que não foi para a fazenda nem o veio trazer. Surgiu o assunto de não poderem vir cá pô-lo ou buscá-lo por o combustivel estar caro. Aí, acabei por explodir com o Lex.
Sempre tinha sido eu a ir buscá-lo ou pô-lo a casa quando queriamos estar juntos, e o meu carro também não se movia com água.
Os meus pais começaram a chamar-me a atenção, que assim não podia ser! Que eu não podia andar só para trás e para frente a gastar o pouco dinheiro que eu tinha em combustível, porque se o deles era caro o meu também era porque era exatamente igual.
Tivémos a nossa primeira briga. Estivémos por um fio.
Desde aí, (ainda que não seja fácil admiti-lo )percebi que não podia levar a palavra dos pais dele a sério.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lex: Em Setembro fui convidado a ir a casa dela, eu estava nervoso, pois ia conhecer os seus pais e os tios e as primas e tudo logo de uma vez. Mas pouco tempo de pois já não estava tão nervoso e no fim do dia eu gostei de os conhecer a todos e eles a mim e diverti-me muito.
Poucos dias depois a minha mãe fazia anos e convidamo-la a ir connosco ao restaurante dos chineses, porque quando vamos jantar fora é sempre aos chineses porque é uma comida que não comemos todos os dias.Eu estava radiante porque ela tinha vindo e sabia que ela não podia ir muito  tarde para casa e  os meus pais também sabiam, mas a verdade e que não sei o que lhes deu na cabeça para depois irmos para casa comer a sobremesa, ao qual ela não podia ir porque não podia se demorar mais, e com isto tudo eles acabaram por não cumprir o que tinham se comprometido. Eles falharam com a Rita, com os seus pais e comigo... 
E desde ai começaram a surgir problemas  do lado os meus pais,  diziam uma coisa e depois quando chegava a hora de a fazer, mudavam as "regras do jogo". E com isso tivemos a nossa primeira briga por causa deles. E a verdade e que ela tinha a razão toda, mas por mais que  eu fizesse para que os meus pais ajudassem mais com a parte do ir lá por a casa dela, no final  era tudo igual, tanto hoje dizem sim como amanha dizem e cito: "não pode ser tudo como nos queremos".
E desde ai eu e a Rita soubemos que não podíamos contar com eles  para quase nada ou nada mesmo.

Imagem: We ♥ it

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui fica mais uma parte da nossa história. Não se esqueçam que podem sempre aceder ali ao lado em Links/Archives, Always & Forever.Esperamos que tenham gostado deste pedacinho de nós.


(Agendado)

Share This Article:

CONVERSATION

3 comentários :