Our love #12 || "Senti-me a inundar de amor" # "Cheguei a esquecer tudo o que se tinha passado"


Rita: A decisão do Lex já estava tomada, ainda que os pais não a aceitassem. Escolheu ficar e lutar por nós e pelo trabalho que acabara de começar. Do lado dos pais dele sabíamos que nada podíamos esperar a não ser recusarem-se a deixá-lo em casa dos avós, os quais certamente o criaram mais que os próprios pais. 
Eu sabia que daquele par de jarras nada de bom se podia esperar mas quando o Lex me contou certas coisas, como o facto de não se sentir bem em casa e se sentir ignorado por eles, só me apeteceu dar um abanão áquela gente. Como poderia reagir ao saber que o meu namorado não se sentia sequer amado pelos pais? Só conta a irmã, para ela sim, fazem tudo e mais alguma coisa e nunca a deixam de parte. Cheguei à conclusão que o Lex não tinha "ninguém". O pai nunca fizera grande caso dele a vida inteira, o padrasto estava a cobrar por o ter criado ( chegou a dizer-lhe que tinha de ir com eles porque foi ele que o criou, dito mais ou menos desta forma) e a mãe cala-se bem caladinha. Ora se não se opôs ao que o outro disse é porque concordava. Sinceramente? Já nem ligo áquele par de jarras. Com muita pena minha. 
Dezembro chegou e tinhamos o nosso Natal planeado. O Lex viria para minha casa, pelo menos aqui nunca foi posto de parte. Nem aqui nem em lado nenhum que fosse connosco. Fomos ao jantar de Natal da família dele paterna, com aquele rebanho de tios, primos e afins (:P) e na véspera de Natal divertimo-nos à brava a fazer os doces. Senti (e ainda sinto) que de alguma forma tinha de preencher aquele vazio que ele traz dentro de si. Pode não admitir, mas sei que toda esta história dos pais lá e ele cá, mexe com ele. Também pelas coisas que disseram quando ele afirmou que não ia e ponto. Não quero ocupar o lugar de ninguém na vida dele a não ser o meu, mas tento constantemente dar-lhe todo o amor que merece e pouco teve da parte deles. É como se tentasse compensar os erros deles. 
Na minha cabeça, acho que o acabaram por abandonar, e só lhe ligam quando precisam de algo. 
A Passagem de Ano também foi passada juntos com a minha familia, os compadres dos meus pais com a afilhada e o namorado.Éramos tantos à volta da mesa que dei por mim a vaguear bem longe, a imaginar nós os dois daqui a um tempo com a nossa casa cheia. Com o nosso Salvador e a nossa Sara a correr pela casa fora, naquele momento olhei-o pelo canto do olho e senti-me a inundar de amor. 
Sei o que quero e farei tudo o que puder por isso. 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lex: A minha decisão já estava tomada desde que começaram com aquela conversa. Sabia o que queria e já sabia o que fazer para seguir em frente com ou sem eles. Não aceitaram e acho que hoje ainda não aceitam mas tiverem de acatar o que decidi porque não me podiam obrigar. Falei com os meus avós paternos que sempre gostaram de mim para saber se podia ficar com eles um tempo. Eles aceitaram-me na casa deles com todo o gosto.

Em Dezembro veio o Natal e no Natal tenho sempre aquele "espírito natalício"(ando mais alegre, faço os outros ficarem mais alegres e as vezes apanho-me a cantarolar músicas de Natal), é uma das coisas que adoro no Natal é este espírito. Mas este ano eu não o tive, deve ter  sido por causa disto tudo mas pronto espero recuperar esse espírito este ano.
Mas adorei o Natal e diverti-me muito na mesma.
Na Passagem de Ano também estivémos juntos, e também me diverti  muito, até cheguei a esquecer tudo o que se tinha passado com os meus pais .


Imagem: We ♥ it

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui fica mais uma parte da nossa história. Estão a gostar?? 
Não se esqueçam que podem sempre aceder ali ao lado em Archives/Our Love, Always & Forever.Esperamos que tenham gostado deste pedacinho de nós.

Share This Article:

CONVERSATION

2 comentários :