Our love #9 || " Algo que jamais seria fácil quebrar" # "Vou ser um pai presente."


Rita: Desde aquele dia, temos trabalhado na nossa relação constantemente. Tentamos limar todas as arestas. O Lex compreendeu o quanto eu valorizo o meu espaço de vez em quando.
Talvez por sempre ter sido senhora e dona do meu nariz, reagi pior do que o suposto ao que acontecera. Poderia ter agido de cabeça fria mas não o fiz. Acho que tive medo. Medo de acabar numa relação como a minha mãe com o meu pai. Sempre foi um homem que gosta de controlar as coisas, até demais. Não tanto agora, mas quando era mais pequena lembro-me de certos episódios em que o domínio dele sobre a minha mãe era demais. E eu não queria isso para mim, já me bastava o que tinha em casa. Já me bastava saber o quanto a minha mãe sofreu.
Conversámos sobre isso e o Lex mudou realmente.
Quando chegou a Páscoa, fui almoçar com a família dele paterna. Já tinha conhecido os avós paternos dele (que eu adoro, por sinal) e naquele dia conheci os tios e o pai biológico. Pronto, ele tinha razão quanto ao pai ser uma espécie de abécula. Não é que o fulano chega, diz bom dia ou o que seja, e pronto, considerem-se cumprimentados. Nem sequer cumprimentou o filho. Seguinte.
No meio daquela enorme família, não me senti a mais como anteriormente em casa dele, no Natal.
Estávamos bem novamente.
Em Maio foi o meu aniversário. Os pais dele (quando digo pais, refiro-me à mãe e ao padrasto) deram-me um livro. Não que eu esperasse algo deles mas acho que foi "civilizado" da parte deles. Se bem que, sabendo o que sei hoje...
Passei o meu dia com o Lex. Fomos ao parque, tirámos várias fotografias e à noite ele jantou cá em casa. Cinco dias depois o meu pai fez anos e disse logo para ele cá vir jantar connosco. O meu pai adora o rapaz. Bolas, nunca pensei que ele aceitasse tão bem o facto de eu namorar.
Desde sempre, o Lex faz parte da família. Vamos aqui ou acolá, dizem logo para o convidar. Os meus tios, quando convidam para lá irmos fazer uma jantarada daquelas típicas da minha família, dizem logo que ele está convidado. Admito, toda a gente da minha família o adora. Consigo ver isso a milhas. É uma das coisas que me deixa feliz, vê-lo tão bem recebido no meio desta gente doida.
Em Junho completámos 1 ano de namoro. Recebi o meu primeiro ramo de rosas e fomos almoçar fora.
Junho foi também o mês em que fomos ambos trabalhar para uma empresa daquelas que anda aí a "vender luz". A verdade é que duas semanas depois saímos de lá. Era uma daquelas coisas que só os "grandes" é que lucram, e as promessas de nos ensinarem não passam de promessas vãs. Perdemos os dois dinheiro em viagens de ida e volta e não recebemos nada.
Mas nem tudo podia correr mal e ainda nesse mês a nossa relação mudou. Não vou dar pormenores, é uma das coisas que só a nós diz respeito, mas posso dizer que criámos um novo laço entre nós. Algo mais forte. Algo que jamais seria fácil quebrar.
Que mais posso dizer? Eu amo o Lex com todo o meu coração. Nunca me tinha entregado a alguém desta forma, também nunca tinha amado alguém assim.
Mesmo com todas as lutas, todos os defeitos, é ele quem me completa a todos os níveis. Por isso, quando em Agosto fomos de férias e os meus pais concordaram em levá-lo connosco na nossa Auto-Caravana (velhinha mas uma autêntica máquina :P) não podia ter ficado mais radiante.
Finalmente poderia mostrar-lhe a costa Alentejana. Poderia conhecer coisas novas, praias lindíssimas e paisagens de perder o fôlego.
Foram umas excelentes férias mas poderiam ter sido de sonho...

(Desculpem pelo testamento :P)
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Lex: Chegou a Páscoa e os meus avós convidaram-nos para irmos almoçar fora todos juntos, iria ser a primeira vez que a Rita iria conhecer o resto da minha família, incluindo o meu pai biológico. Ele nunca foi um pai para estar ao pé do filho, perguntar o que fiz durante o dia, ou mesmo brincar comigo quando era pequeno. Ele nunca me ligou muito. Ou estava a trabalhar, ou estava na caça ou pesca, ou então estava a ver o BBC ou outro canal de caça ou pesca até adormecer no sofá e não fazia caso nenhum do filho. Hoje digo-lhe bom dia ou boa tarde e não passa disso. Uma coisa que eu me prometi a mim mesmo foi que um dia que tenha os meus filhos, eu não vou ser como o meu pai. Vou buscálos à escola /estar a horas decentes em casa para estar não só com os pequenotes mas também com a minha linda mulher (a Rita claro ;) ). Vou ser um pai presente, e vou ser um pai/marido como o meu nunca foi.
Já estávamos no restaurante quando o meu pai chegou e nem sequer se interessou em vir conhecer a minha namorada. Simplesmente chegou e disse Bom dia e pronto... (não gostei nada da atitude dele... nem sequer veio dizer olá à Rita... nada!, já nem digo vir-me dizer olá porque já não faço caso... mas pronto não gostei).
Em Maio ela fez anos e passámos o dia juntos e divertimo-nos muito nesse dia. Ela estava muito gira ihihih ;)
Em Junho fomos para essa empresa de "vender luz". Eu não sou supersticioso nem nada mas acho que as coisas não acontecem sem razão ou que são aleatórias. Eu acho que as coisas já estão destinadas a ser assim e que nada acontece por acaso. E por isso digo que perdemos o nosso tempo e o nosso dinheiro em algo que só os que lá estavam há mais tempo é que ganhavam dinheiro. Mas estava destinado a ser assim, porque ao sairmos dali, criámos mais um laço entre nós, estava destinado a perdemos algo para podermos receber algo que aí vinha...
 No verão fomos de férias na autocaravana e foram espetaculares, eu adorei imenso, mas lá está, podiam ter sido de sonho se eu não voltasse a fazer m****  outra vez...


Imagem: We ♥ it

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui fica mais uma parte da nossa história. Estão a gostar?? 
Não se esqueçam que podem sempre aceder ali ao lado em Links/Archives, Always & Forever.Esperamos que tenham gostado deste pedacinho de nós.

Share This Article:

CONVERSATION

1 comentários :

  1. Claro que estou a gostar :) e a minha família também gosta imenso do meu Namorado e fazem questão de o convidar para tudo :D e é tão bom quando assim é pois não temos de escolher o namorado ou a família, podem estar todos juntos, podemos amá-los a todos ao mesmo tempo :D

    ResponderEliminar