Adeus, para sempre


Hoje despeço-me de ti como deveria ter feito há dois meses atrás. Pediste-me por amor de Deus que fôssemos amigos, que querias mudar e que farias tudo por isso, eu - estúpida como sempre - ainda que contrariada lá te dei essa chance. Hoje pergunto-me: Porquê? Para quê? 
Pelo menos tentei, e tive ainda mais a certeza que nunca daria em nada, tal como nunca deu. Quando não resulta à primeira, dificilmente resulta mais tarde.
 Por respeito a ti, a nós, nunca aqui falei do que realmente tinha acontecido para terminar-mos mas hoje isso acaba. Tal como acaba tudo o resto.
Há dois anos e meio apaixonei-me por ti, eras tão diferente dos outros, diferente do que te tornas-te durante este tempo. Andava completamente nas nuvens, desejosa de estar contigo todos os dias se fosse possível mas logo três meses depois de começar-mos a namorar já havia problemas porque os teus pais deram a palavra deles aos meus, que me deixariam em casa se eles deixassem ir jantar fora com vocês. 
Sempre de pé atrás, deixaram-me ir e eu fui. Mas não me trouxeram a casa e ficaram logo pintados para o resto da vida. Naquela noite foi a primeira de muitas vezes que falharam comigo e sobretudo, com os meus pais.
Só não esperava que te tornasses igual a eles. Talvez sempre tenhas sido, certo? Eu é que, cega de amor não via isso. Não via nada a não ser coraçõeszinhos, planos para o futuro e tudo mais. Mas assim como tudo o resto, o tempo passou e os planos que traçávamos nunca se realizaram. 
Os meses passaram e os meus pais começaram-me a chamar à atenção para o dinheiro que eu andava a gastar em combustível para te ir buscar ou levar a casa porque o teu padrasto nunca podia, nunca lhe apetecia e porque o gasóleo estava caro, se calhar o meu não, né? Se calhar o meu carro até anda a água e eu nem sei. E isso nunca mudou, deles esperava qualquer coisa mas não de ti. Não esperava que fosses um atadinho com pouca vontade de arranjar trabalho a menos que fosse engravatado. E sobretudo não esperava que fosses o ingrato que és. 
Mas é verdade quando dizem que as pessoas com o tempo se revelam. Não sou perfeita, sei disso, mas em termos de pessoa, era muito melhor antes de ti, antes da tua família, antes de tudo isto. Todos vocês, tornaram-me mais desconfiada, fria. Eu não era assim. Agradeço-te por me teres feito ver realmente o que és, certamente não cometerei o mesmo erro. 
Nunca fui uma namorada que foi levada a jantar ou coisas do género que é suposto os namorados fazerem porque nunca tinhas dinheiro para nada. Até férias tiveste às custas dos meus pais e isso foi a gota de água. Impuseram a única condição de contribuíres com algum dinheiro para ajudar nas despesas e o que fizeste? Nada. Absolutamente nada. Saias da cama de manhã, sentavas-te à mesa à espera que te pusessem as coisas à frente. Sempre à espera que te mandassem fazer isto ou aquilo porque senão também não fazias. Naqueles 11 dias odiei-te. Se pudesse tinha regressado a casa mais cedo, desejosa para que aquelas férias de merda acabassem porque via os meus pais puxarem pela carteira e tu, nada. Nem a porra de um gelado pagas-te e depois a tua desculpa foi "Também só comemos duas vezes, e não tinha a carteira comigo." Como se não soubesses para onde ias quando ia-mos aos gelados. Até te digo mais, só comemos gelados duas vezes porque no ano passado comeste-os todos os dias, à custa dos meus pais e de mim. Não tens vergonha? Certamente que não. Cara de pau. 
Nem um cêntimo gastas-te em 11 dias e no final ainda tens a lata de "Eles não me pediram o dinheiro, pensei que já estivesse pago". Foda-se, a sério? Não te tinham dito como é que seria? Não te deram uma condição? Não eram eles que to tinham de pedir, tu é que tinhas de ter dois dedos de testa. Mas não. Como disseste, esqueces-te de dar o dinheiro. A falar-mos diariamente de dinheiro e tu (não te lembras-te?)com a tua grande lata e cara de pau, caladinho que nem um rato.
Tudo em ti são desculpas. Tudo! Nem um obrigado soubeste dizer vez nenhuma, nem pelas férias nem por nada que tanto fizeram por ti, nem sequer pela bicicleta que te emprestaram durante meses (porque nem uma bicicleta tua tens) com pena do menino porque os pais se tinham ido embora e ele ficou com os avós. Pena? Não tens idade para ser homem? Fazeres-te à vida? Nunca tens dinheiro para nada, não tens onde cair morto tal e qual como os teus pais, és exactamente como eles. Querem tudo, fazem tudo mas depois nunca têm nada porque não querem trabalhar por isso.
Tentas fazer jogo sujo, fazes-te de vítima mas já te topei à muito tempo. Dizes que tens mudado e tudo o mais, mas e os resultados? Ninguém os vê, só tu. Dizem-te para te ires inscrever em certos sítios porque precisam de gente, ou para te ires informar sobre estágios como eu te disse, e 1 mês depois que me disseste? Nunca mais te lembras-te de lá ir. Agora diz-me, uma pessoa que quer realmente trabalhar não vai a todas? Não se inscreve, não procura ? Apenas se esquece? 
Eu acho é que tu achas que me passas por parva mas há muito, muito tempo que não acredito nem numa única palavra saída da tua boca. Porque tudo em ti foi promessas vãs, não me esqueço das vezes que combinávamos comprar algo para os dois, como por exemplo, imprimir as nossas fotos, que supostamente me darias metade do dinheiro. E eu, parva gastei imenso dinheiro contigo, em coisas nossas e quando tas mostrava não te "lembravas" do prometido. Nunca te lembravas no que toca a dinheiro. 
Hoje sei que suportei mais do que devia, chorei mais do que o suposto. Podes te fazer de vitima para ficares bem na foto para a tua família mas a mim, à minha família que sempre te adoraram, não enganas mais. 
Tornaste-me numa pessoa pior mas agradeço todos os abre-olhos. A sério que sim. Faz lá a tua vidinha com a tua família que eu faço a minha vida que os meus. Mesmo sempre em guerras pelo menos não temos dívidas e todos temos vontade de trabalhar, porque ao contrário do que os teus papás sempre pensaram, nós não somos ricos - se fôssemos ricos eu não andava a juntar todos os tostões para um carro melhor. - mas tudo o que temos, foi fruto do trabalho dos meus pais durante os anos. Nunca se negaram a fazer o que fosse, nunca se importaram em sujar as mãos a trabalhar no campo enquanto não havia mais nada. Porque é trabalho. Pelo menos têm o nome limpo. 
Há dois meses e pouco, quando terminei contigo, disseste que eu não valia nada. Posso não valer nada mas tu ainda menos vales. Quero o que é meu e de resto, distância. Quanta mais, melhor. 
Hoje, aqui, me despeço de ti, de todas as mágoas, de todo o sofrimento. Hoje, despeço-me de ti para sempre.


Share This Article:

,

CONVERSATION

22 comentários :

  1. Percebo-te mesmo bem, há coisas que por muito que se queira não dá.
    R: Os meus 20 também tiveram mais impacto que os 18 :)

    ResponderEliminar
  2. Vou seguir!
    Mas tens que ter força. Não foi uma relação fácil, mas agora tens que seguir em frente! :) Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi fácil e sinceramente, antes de a terminar há 2 meses, há muito tempo que ja não andávamos bem.

      Eliminar
  3. O certo e o errado é muito relativo mas acho que tomaste a decisão mais acertada. Agora o caminho é para a frente e espero, sinceramente, que encontres alguém que te mereça.

    r: Já te estou a seguir novamente, obrigada pelo aviso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que ficarei para tia solteirona, mas nem irmãos tenho para ser tia -.-

      Eliminar
  4. Há pessoas que não valem a pena. Custa bastante, é verdade, até porque os sentimentos não desaparecem de um dia para o outro, mas pelo nosso bem chega a uma altura em que é crucial pôr um ponto final na história. Força!

    r: Feito :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há que dar algumas cabeçadas também, nao é?

      Eliminar
  5. Muitas vezes temos que dizer o 'adeus' final, mesmo que custe! x

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobretudo se nos faz mais mal do que bem:(

      Eliminar
  6. Muita força nesse adeus! ;-) estou certa de que mereces alguém melhor. Beijinho grande

    ResponderEliminar
  7. E pena as relações darem voltas destas e as coisas correrem mal. Mas entendo a tua magia, e se não deu não deu. E seguir em frente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando não dá á primeira dificilmente dará à segunda ou terceira:/

      Eliminar
    2. Isso é verdade, sei bem o que isso é. Mas força, vais ver que tudo passa, e um dia a pessoa certa aparece e esqueces o passado.

      Eliminar
  8. Acho que fizeste muito bem Ellie, sinceramente alguém assim difícilmente faz alguém feliz, nem de si próprio sabe tomar conta ou ser independente...

    Força querida !

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que fará alguém feliz. Uma preguiçosa e desleixada como ele, certamente. Eu é que não sou assim, nem nunca fui. Mas isso também já vem dos nossos principios e da educação que tivemos. Mesmo assim, se quiséssemos mudar, nada impediria, mas quando se está bem assim...

      Eliminar
  9. Um grande acto de força e garra! Já gosto de ti, só por ler este texto!
    Um beijinho! Queixo erguido e bola prá frente!! *

    ResponderEliminar