Paris será sempre Paris


Os ataques da passada Sexta-Feira, 13 de Novembro (porra para a Sexta-Feira 13, maldita sejas!) não foram os primeiros a que o mundo assistiu e infelizmente, estão longe de serem os últimos.
Muitas são as opiniões sobre o assunto e sinceramente, já estou mais do que exausta de falar deste assunto, desta desgraça constante a que nos habituámos a ver nas notícias.
Li numa notícia que os ataques a Paris seriam para os Franceses, o que o 11 de Setembro foi para os Americanos.
Mas para quê tanta guerra? Para quê tudo isto? Querem se matar uns aos outros ou a eles próprios, epá façam isso na terra deles mas deixem os inocentes, sejam eles quem forem, de parte.
E para arrumar o assunto de uma vez por todas aqui do meu blog, depois de ter sido "acusada" de xenofobia, agora mais calma, talvez por uma última vez deixo aqui a minha opinião sobre isto.
A meu ver, xenofobia seria "dêem cabo do canastro deles todos, todos mesmo. Independentemente de serem homens, mulheres, miúdos ou idosos. Acabem com a raça deles".
Eu disse isso? Não. Apenas expressei a minha revolta porque não sou tão desinformada como pensam, leio noticias e tenho dois dedos de testa para perceber que no meio dos refugiados que podem ser boas pessoas, vem pessoas com más intenções e nas fronteiras pouco ou nada fazem para verificar quem estão a deixar pisar o território Europeu.
É claro que quando querem fazer mal, arranjam sempre forma de entrar onde querem, mas com a massa de refugiados é ainda mais fácil para eles.
Também sou contra a deixarem os nossos Portugueses morrerem de fome e de frio por lhes negarem qualquer apoio ou subsídios, e no entanto esses ditos refugiados chegam e têm direito a casas e tudo mais que os nossos não têm.
Certo que foram distribuídos por toda a Europa, cada país com uma quantidade deles, mas têm de entender que há países que por muito que quisessem ajudar, não podem porque nem para os deles têm condições para ajudar.
Tenho um medo enorme de guerras. Tenho medo do que tem vindo a acontecer cada vez mais. Medo o que estará por vir. Tenho medo dos refugiados por saber que no meio deles está alguém pronto a nos reduzir a cinzas. Para eles a vida não vale nada, prendem uma sentença de morte a um colete e pronto, não se importam em morrer por um "Deus" que dizem ter. Mas Deus não seria paz e amor para toda a gente? Pelo menos a minha definição de Deus e religião é tudo menos violência e terrorismo.
Com certeza que não serei a única pessoa que quando vir um refugiado na rua vai olhar por cima do ombro, com medo mesmo que no fundo essa pessoa não seja um monstro.
Tenho medo. Estou assustada. Tenho uma pessoa conhecida em Paris e o marido que está cá a acompanhar a obra da futura casa deles, certamente não poderá regressar para casa, para perto da sua esposa de uma vida, tão cedo por as fronteiras estarem fechadas.
Tenho medo, tenho opinião. Acusem-me de ser uma medricas e de perder o sono por causa disto, mas não me acusem sem me conhecerem, baseados em opiniões porque cada um tem a sua.

Paris será sempre Paris e continua a ser um sítio que quero visitar quando for mais seguro e surgir oportunidade. Ainda que por agora "sem luz" e de luto, Deus é grande e trará justiça para quem a merece. Que nos ajude, a todos nós, hoje e sempre.

Share This Article:

CONVERSATION

6 comentários :

  1. Xenofobia? Será que os judeus também foram chamados de xenofóbicos quando o Hitler decidiu manda-los perseguir até a morte.
    Nós somos chamados de xenofóbicos e somos obrigados a diferenciar os bons dos maus, e eles, terroristas, chegam ali em paris e matam centenas de pessoas, será que souberam diferenciar os bons dos maus, será que deram a oportunidade alguém?
    Mando-nos informar antes de falar, mas enquanto eu leio mais um artigo, um francês morreu. Independentemente se defendo ou não os refugiados, há pessoas que estão a morrer injustamente e pouco importa ao terroristas a opinião das pessoas que estão a matar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí é que está :/
      Mas já deixei de me pronunciar sobre este assunto. Que seja o que Deus quiser, olha.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Esperemos que justiça seja feita e que algum dia tudo possa normalizar o máximo possivel:/

      Eliminar
  3. Subscrevo na integra o teu texto, sobretudo o último paragrafo.

    ResponderEliminar