John Green | O Teorema de Katherine



«Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou.
Das dezanove vezes a rapariga chamava-se Katherine.
Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy, e especialmente não Catherine, mas KATHERINE.
E das dezanove vezes, levou com os pés. 
Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, talvez não, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso no curso de um verão glorioso passado com o seu amigo Hassan a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a grande vantagem de não se chamarem Katherine.»


Em duas palavras: Simplesmente genial!
John Green voltou a mostrar o quão brilhante é. Não imagino o quão complicado deve ter sido escrever um livro com tanta matemática - ainda que tenha tido a ajuda de um amigo matemático - e brilhante ao mesmo tempo.
No início custou-me um bocado habituar-me à leitura, muitas palavras esquesitas (em árabe) e afins, mas meia dúzia de páginas depois, já é quase normal. 
Diverti-me imenso a ler o Teorema, mais do que esperava. Que venha À Procura de Alaska.

Quem já leu?

Share This Article:

,

CONVERSATION

1 comentários :