Querido Pai Natal 🎅


Hoje trago-vos um post sobre as minhas memórias de infância sobre o Natal mais precisamente o meu Pai Natal... Já vão perceber porquê o "meu". 
Até aos 7 ou 8 anos, não sei, acreditei no Pai Natal. Sobretudo porque o dito-cujo visitava-me em todos os Natais, por azar era sempre quando o meu pai tinha de sair por qualquer motivo. Vai-se lá saber não é? 😇  Eu adorava aquele barrigudo mudo (porque ele não sabia falar Português, só "Polonês" 😆, como me diziam). Até lhe oferecia bombons como agradecimento pela visita (que na última vez ele deixou cair no jardim).
A minha mãe conta que numa das visitas eu disse para ele "Oh Pai Natal tem umas botas iguais às do meu pai"...Não demorou muito até eu perceber quem era afinal o Pai Natal que me visitava...
E vocês? Têm histórias para partilhar? 

Share This Article:

CONVERSATION

18 comentários :

  1. Nos nossos natais fomo habituados a deixar um sapato nosso na cozinha, cada um no seu sitio, onde o pai natal iria deixar as prendas de cada um. O meu avô materno sempre que chegava perto da meia noite desaparecia,e nao nos deixava sair da sala com uma desculpa qualquer. Depois ia para a varanda e ouvia se tocar uma sineta como sinal que o pai natal ja tinha ido deixar os presentes a cozinha. A seguir iamos todos a correr, e tinha um primo que tinha medo de entrar primeiro pois tinha medo que la estivesse o velho barbudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahaha que giro! O meu pai também tinha um sininho pequenino :P

      Eliminar
  2. Eu fiz de Pai Natal em três anos consecutivos e nunca fui descoberto. O segredo está na barba =P

    ResponderEliminar
  3. Lembro-me de por o sapatinho na chaminé e não sei bem como os meus pais punham lá os presentes ahah

    ResponderEliminar
  4. XD eu quando era mais nova acreditava tanto no pai natal que tinha medo de andar pela casa durante a noite
    Sempre me assustou um pouco a ideia de um homem entrar pela chaminé mas claro que gostava de ver os presentes depois debaixo da árvore

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu Pai Natal sempre entrou pela porta da frente, mas coitado, só sabia dizer Oh Oh oh! Não falava mais nada. Era marreco, gordo, coxo :P

      Eliminar
  5. Infelizmente n tenho assim nenhuma história gira, ngm se disfarçava de Pai Natal por isso eu descobri muito cedo quem dava os presentes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bocadinho de imaginação e magia é sempre bom para os miúdos, apesar de haver gente que pensa "Não, eles têm é de saber a realidade como ela é".

      Eliminar
  6. No último Natal em que o "Pai Natal" (a.k.a meu pai) nos visitou eu já sabia quem era. Descobri da maneira mais parva. Escrevi uma carta ao Pai Natal e ele respondeu-me. Na altura fiquei em êxtase mas quando abri a carta vi logo quem a tinha escrito: era a letra do meu pai. Mesmo assim naquela noite, já com quase nove anos, fiz o meu papel ingénuo para que o meu primo, três anos mais novo que eu, continuasse a acreditar. É a memória mais significativa que tenho. E espero que um dia um filho meu também acredite até tarde. Faz tão bem acreditar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão :) E já te disse isto algumas vezes; serás uma excelente mãe!

      Eliminar
  7. Eu não me lembro de acreditar no pai natal, acho que nunca houve essa tradição aqui em casa. Mas é sempre engraçado quando os miúdos acreditam e ficam com estas histórias giras como a tua :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei chateada quando descobri que afinal andava a dar bombons ao meu pai xD

      Eliminar
  8. Eu também acreditava vivamente e acho mágico acreditar! Depois lá me fui apercebendo e fiquei só com pena de não ser verdade e nunca zangada como algumas crianças.:p

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei zangada foi com o facto de eu anda enganada a dar bombons ao meu pai xD

      Eliminar
  9. Eu lembro-me de todos os natais, era sempre um teatro gigante, a pessoa que desaparecia (pai ou too) ficava a guardar as renas. Ficou tudo estragado quando a minha mãe resolveu que aquele era o ano dela, vestiu-se de pai natal mas nós reconhecemos as sardas dela, aí acabou a magia do pai natal mas continuamos com o espírito divertido.

    ResponderEliminar