Entrevista | Leandro Peleja

By Rita C. - fevereiro 04, 2018

Hoje trago-vos uma pequena surpresa e novidade aqui pelo blog. Pela primeira vez entrevistei alguém e o escolhido foi o autor do livro que li anteriormente "A Saudade Tem um Nome". Mas ninguém melhor que o próprio Leandro para nos falar um pouco sobre si e os seus livros. 
Vamos lá? 😉


Antes de mais, obrigada por teres aceite o meu convite e bem-vindo ao The Choice

Para quem não te conhece, quem é o Leandro?
O Leandro? Às vezes, nem eu próprio sei. Consigo surpreender-me diariamente. Eu sempre disse que devemos deixar um tempo para nos conhecermos a nós próprios, e eu tenho conhecido partes de mim que não conhecia. Mas, basicamente, sou um rapaz que escreve algumas coisas. Um rapaz “sem sentimentos”, que procura aprender a sentir e a viver.

Descreve-te numa só palavra
Lutador. Talvez um pouco pelos valores que o meu pai me passou, e também pelos valores que aprendi na rua, durante a minha infância, eu nunca desisto de nada. Eu persisto e luto sempre pelos meus sonhos e objectivos.

Como surgiu aquele bichinho pela escrita?
Pelo que sei, foi algo que esteve sempre comigo. Já desde o 5º. ano que as minhas composições na escola são “coisas do outro mundo”, segundo aquilo que os meus colegas me dizem. Mas eu tive uma fase bastante conturbada na escola, uma fase mais rebelde, e por isso nunca me esforcei muito em aperfeiçoar esse bichinho. Até que mais ou menos no 8º/9º comecei a usar as minhas composições nos testes de português como um confessionário. Um sítio onde eu podia desabafar. A minha professora começou a incentivar-me, uma vez que eu tinha sempre a nota mais alta da turma na parte da composição, e eu comecei a interessar-me mais pela escrita. Mas nunca pensei que desse em nada. Até ter chegado ao secundário e outra professora me ter começado a “moldar”. Ela limou algumas arestas na minha escrita, e ajudou-me a libertar o melhor de mim.

Quem te inspira na escrita e na tua vida?
Bem, na minha vida quem mais me inspira são os meus pais, os meus avós, e os meus amigos mais próximos. Na escrita é o meu avô, que era poeta, e o Pedro Chagas Freitas.

O que te levou a publicar um livro?
A publicação do meu primeiro livro, “A Saudade tem um Nome”, foi devido ao enorme esforço e incentivo do próprio Pedro Chagas Freitas. Ele conheceu-me no campeonato nacional de escrita, e fez questão de acompanhar toda a minha evolução, e ajudar-me, até ao lançamento do livro.

Já tens vários livros publicados, como viveste todo o processo até teres os teus livros finalizados? Muita ansiedade?
Ansiedade? Não. Algo muito maior. Um sentimento que nunca tinha sentido antes. Algo muito mais forte.

Qual a tua reacção quando o teu livro foi aceite para publicação?
Fiquei bastante alegre, como é óbvio. Vermos o nosso trabalhar ser reconhecido, e termos a oportunidade de entrar num mundo tão grande, e tão importante, como o mundo da escrita, é algo extraordinário.

«Não tenho saudades tuas. Não que seja verdade, mas por vezes é mais fácil dizer uma mentira do que suportar a verdade.»

Se pudesses voltar atrás, mudavas algo?
Não. Eu sempre pus tudo aquilo que eu sou, em tudo o que faço. Por isso não costumo viver com arrependimentos.

Na minha opinião, desde a primeira página de “A Saudade Tem um Nome” tive a sensação que não era apenas ficção. Verdade? Quanto de ti há na personagem Rodrigo?
Para ser sincero, tem muitas coisas que aconteceram realmente, mas também tinha algumas partes que não passavam da ficção. O que me chocou, foi que muitas das partes que eram “ficção” acabaram por acontecer mais tarde. Quanto aos personagens, todos eles têm um pouco de mim, mas o Rodrigo tem mais que apenas um pouco. Eu revejo-me bastante nele, e nas palavras dele.

Existe/existiu alguma Ariana/Marta na tua vida como na do Rodrigo?
Não, os nomes foram alterados. E cada nome tem um significado e um “porquê” por trás. Mas, coincidência ou não, neste momento existe uma Marta na minha vida.

«Eu perdi-te. Perdi alguém para quem eu não significava nada. Tu perdeste-me. Perdeste alguém para quem tu significavas tudo.»

E tu? A tua Saudade tem Um Nome?
Sim, todos nós temos um nome para a saudade. Por vezes até vários. E a minha saudade tem vários nomes.

Quanto ao teu mais recente livro, “100 Sentimentos”, o que nos podes dizer sobre ele? 
100 Sentimentos” promete não deixar ninguém indiferente. É uma mistura de romance, com drama e poesia. Pode parecer um pouco confuso, mas não. É um livro que contém 100 histórias de pessoas que sentiram. Pessoas que amaram. Pessoas que viveram. Pessoas que perderam. É um livro muito forte, muito pesado, talvez até um pouco demais para mentes fracas.

O que esperas de 2018? Muitos projectos em mente?
Sim. Para ser sincero existem vários projectos. Ainda estou numa fase de decisão em relação a qual dos projectos vou lançar primeiro. Mas, por enquanto, podem esperar algo especial para o dia dos namorados. Fiquem atentos ao meu canal no youtube. (AQUI!)

Que gostavas de dizer a quem nos está a ler?
Quanto aos que me conhecem, espero que saibam que, apesar de todas as tempestades e guerras que têm vindo na minha direcção, elas só me tornam mais forte. Quem não me conhece espero que tenha ficado com vontade de lutar pelos seus sonhos, assim como eu lutei pelos meus. E que nas vossas vidas nunca falte um projecto, nem um sonho para correr atrás. Eu sonhei ontem, e hoje estou onde estou graças aos meus sonhos. A pergunta é: Vocês sabem onde estão hoje. Mas onde é que vão estar amanhã?



Obrigada mais uma vez Leandro, e que chegues até onde os teus sonhos e a tua persistência te levarem. 😊💪

Review "A Saudade Tem um Nome " 
Página do autor - Chiado Editora | Blog do Autor | Instagram

  • Share:

You Might Also Like

14 comentários

  1. Ola, tudo bem? Adorei o post e não conhecia o blog nem o leandro nem as suas obras... Eu uma pessoa que adora ler desconhecia as suas obras, mas após ler a entrevista fiquei com muita vontade de os ler.. Parabéns pelo excelente trabalho de ambos

    https://meanddiamond.blogspot.pt/2018/02/desafio-c-youtuber-beatriz-belo.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, certamente que ele tbm agradece :)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Confesso que não conhecia o Leandro, mas gostei imenso de ler a entrevista! :D

    amarcadamarta.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Adorei a entrevista! Deixou-me com ainda mais vontade de ler os seus livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos aquele que eu já li, vale muito a pena :)

      Eliminar
  4. Deixei um desafio pra ti no meu blog:
    https://doce-branca.blogspot.pt/2018/02/tag-gosto-e-nao-gosto.html

    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. r: Quando vi a publicidade, também não me captou logo a atenção, mas depois deixei-me ficar a ver o episódio piloto e rendi-me :D
    Pode ser que isso mudo depois de veres mais episódios

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já vi os 3 primeiros :P Estou à espera da legenda para ver o novo. Eu gostei mas não me fascina assim tanto, ainda.

      Eliminar
  6. Só conhecia o livro "100 sentimentos", agora tenho mesmo de ler o outro!
    ADOREI A ENTREVISTA, PARABÉNS :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse ainda não li :P
      Obrigada croma ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  7. r: Sopa da pedra dispenso, mas voltar a Santarém não me importava :D

    ResponderEliminar